LENÇÓIS MARANHENSES

 Lençóis maranhenses

INFORMAÇÕES:Considerado um dos destinos mais bonitos do país, os Lençóis Maranhenses combinam quilômetros e quilômetros de dunas branquinhas pontilhadas por lagoas de água doce, ora azuis, ora verdes. A porta de entrada para o paraíso, protegido pelo status de Parque Nacional, é o município de Barreirinhas. De lá, é dada a largada para a exploração do cenário, que fica ainda mais exuberante entre os meses de junho e setembro, quando as lagoas estão completamente cheias. Para conhecer os principais cartões-postais dos Lençóis - e outros recantos pouco conhecidos -, é fundamental o apoio das agências de turismo. Para entrar na reserva, por exemplo, é necessário acompanhamento de um guia credenciado. Já para circular pela região, repleta de trilhas de areia e rios, somente em veículos com tração nas quatro rodas ou de barco. Estas são as únicas maneiras de se chegar às lagoas Azul, uma imensa piscina que faz jus ao nome; e Bonita, que exige a escalada de uma duna de 40 metros de altura. Todos os sacrifícios, porém, são recompensados pelos banhos refrescantes, pelas paisagens únicas e pelo pôr-do-sol em meios aos montes de areia. Também são os jipes e barcos que levam aos povoados vizinhos, com atrações menos exploradas. Em Santo Amaro do Maranhão fica a maior lagoa da região, a da Gaivota. Já Atins é o acesso mais fácil para a praia de Lençóis, com 70 quilômetros de extensão e completamente deserta. Delta do Parnaíba INFORMAÇÕES: A cidade de Parnaíba é o ponto de partida para os passeios de barco que levam ao Delta do Parnaíba, um dos mais belos cenários do país formado por rio, mar, lagoas, igarapés, áreas de mangue e 75 ilhas. Os tours duram cerca de seis horas com direito a paradas em praias, dunas e ilhas. Concorrido também é o roteiro que leva à baía do Caju, incluindo observação de caranguejos, caminhadas e banhos. O auge do passeio é a revoada dos guarás, as típicas aves vermelhas que seguem para os igarapés ao entardecer. Para quem prefere circular por terra, vale a pena curtir a Lagoa do Portinho, uma pequena praia cercada por dunas, bares e restaurantes. Point na hora do pôr do sol, o espelho d'água é cenário para passeios de lancha e de banana boat. Na praia da Pedra do Sal as atrações ficam por conta das boas ondas e dos quiosques no lado direito do morro; e as paisagens desertas e pacatas à esquerda. Já na praia do Coqueiro, as casas de veraneio dividem a atenção com a areia branquinha. Rusticidade é a marca registrada da praia de Macapá, com tendas de palha que servem porções simples - e deliciosas! No caminho para Macapá, faça uma parada em Carnaubinha para conhecer a árvore da Cabeleira, como dizem os moradores. Trata-se de um tamarineiro que teve a copa "penteada" pelo vento ao longo dos anos. O Centro da cidade também guarda belezas. O Porto das Barcas é uma delas - o conjunto arquitetônico às margens do rio Igaraçu é formado por prédios dos séculos 18 e 19 que hoje abrigam bares, restaurantes e lojas de artesanato. Na Catedral de Nossa Senhora das Graças o destaque fica por conta do altar principal original, com detalhes em ouro. Encerre os trabalhos experimentando as delícias típicas da região à base de caranguejo. Nos restaurantes da avenida Beira-Mar, os cardápios oferecem a iguaria em várias versões: torta, casquinha, patinha à milanesa e tradicional, quando o crustáceo deve ser desmembrado e quebrado com o auxílio de um martelinho.